terça-feira, 2 de junho de 2009

Palavras com A

A-MIGUÉLI. Evidentemente que trata-se de uma paragogia de “migué”, que possivelmente é uma apócope de Miguel. Apesar de ser uma expressão bastante usual em Santa Catarina ela é conhecida em todo o Brasil. À beca, à vontade
À BEÇA (bé). Locução que significa à vontade. Às pampas, às pamparras, a-miguéli.
ABATUMAR. Que abateu, que abate. O bolo que abateu. Este vocábulo registramos no planalto norte e na região serrana, apesar de que Ilson Rodrigues ter consignado este termo em seu dicionário de regionalismo da Ilha. No centro-norte do litoral, entre nativos, não há registro, nem conhecimento. No litoral se diz que o bolo “criou pé”, encurruou, encruou, criou pé. Var. Abatomá, abatumô.
ABISMAR. Espantar, admirar. “Ficou muito abismado...!” (Informação do jornalista Elias Silveira - BC)
ABOBA. (bó). Deverbal de abobar. Muito usado na expressão “não abóba”, que quer dizer: não fique bobo ou não se faça de bobo.
ABOBAR. (c.l.c.) 1-Ficar bobo.
2- Ficar sem fazer nada. Bobar
ABOBRA. Metaplasmo de supressão por síncope de abóbora.
ABOBRÃO. 1- (subst) Aumentativo de abobra.
2- (adjt) Gíria. Pessoa que fala abobrinhas. ”Estamos aqui para esclarecer e tirar dúvidas - comprometeu-se o abobrão” (Jornal Diário do Litoral - (Diarinho nº 6799 p 11)
ABOBRINHA. Diminutivo de abobra. Gíria para estultícia.
ABORNAR. Encher o bornal. Encher-se de alguma coisa, em especial, encher-se de dinheiro. Abornado, cheio de dinheiro, rico. Var: Abonar, abonado.
ABREGO. Vento frio, normalmente vindo do sul.(Novo Dicionário da Ilha)
ABRIBIAR. (c.l.c.)Possivelmente uma metanálise de “abrir bem”. Abrir os olhos, ficar esperto. “Abribia esse teu zóio mulhé” ( Isaque de Borba Corrêa - Colóquio - inédito)
ABUGIAR. (c.l.c.)Modo de se xingar alguém. É comum ouvir o xingamento: “Vai te abugiar!”
ACARCANHAR. Acalcanhar com rotacismo. Apertar com os calcanhares. Diz-se especialmente quando se calça um sapato por cima da parte de trás, amassando-o, fazendo-o como chinelo ou como se fosse um chinelo.
ACARCAR. Metaplasmo de adição com prótese de carcar. Socar, pisar, encher, apalpar com força.
ACERO. Metaplasmo de supressão por síncope de aceiro. Limpeza do cisco em redor da coivara, para controlar o fogo e não atingir a floresta.
ACHA. Pedaço de lenha refilado a machado, para queimar no fogão.
ACHOCHAR. (c.l.c.)Metaplasmo de supressão por síncope de achouchar.
ACHOUCHAR. Acertar em cheio. Chapulentar, ajojar. Achouchei / achouchaste / achochou.
ACINHO. Bolinha de aço de rolamento que se usa no jogo da quilica, para substituir a “jóga”.
ACOAR. Latir, ladrar. Usado em quase todo o Estado.
ACÔO. O latido do cachorro. “A cachorrada gachava-se a uivar entre acôos.” (Tito Carvalho, Vida Salobra p. 248)
ACROCAR. (c.l.c.)Metaplasmo de supressão por síncope de acocorar. Agachado no chão sobre os calcanhares; acocorar, em cócoras: . Que está de croca (cró).
“No segundo anúncio o homi já tava de croca, agarrado num pé de mata-pasto” (Isaque de Borba Corrêa - Pirão com Milongas- inédito)
ACROCADO. Síncope de acocorado Que está de croca, sentado no chão ou sobre os calcanhares; agachado. “E não é que o cara de pau cagou ali mesmo, acrocado atrás do poste” (Isaque de Borba Corrêa - Pirão com Milongas -inédito)
ACUERAR. Formar cuera, junjir, tornar-se muito amigo. (Euclides Felipe - Boletim da Comissão Catarinense de Folclore (BCCF) V. 08)
ADOBO. Tijolo cozido somente no sol. (Lucas Boiteux. Poranduba Catarinense)
ADUELA. (Med. pop. cat.) Costelas, arca. (Osvaldo Rodrigues Cabral, Vocabulário de Consultório Médico, BCCF n° 04)
AFANAR. Roubar, cucar, chuchar. “Policial civil ta sendo acusado de afanar armas e grana falsa”. (Jornal Diário do Litoral (Diarinho) n° 6.733 p 5)
AGADANHADO. Metaplasmo de adição por prótese de gadanhado, ou seja, segurando com os gadanhos. Grudado, agarrado, preso. “{...} agadanhado que nem ostra no rabo de macaco.” (Othon Gama dÉça, Vindita Braba p 33)
AGARIBAR. (l.planalt.) Zangar-se. “Agaribou-se à-toa.” (Doralécio Soares, Linguagem serrana - Folclore Brasileiro, p. 14)
AGENTE. Segurança, policial, na cidade de Lages. (Lucas Boiteux, idem ibdem)
AGÓ. 1-Metaplasmo de supressão por apócope de agora.
Expressão muito usada para complementar uma frase. Ex:
“Não precisa, agó”.
2- Interjeição de negação com intenso reforço fonético, na sílaba tônica quando se quer negar ou duvidar.
AGORÁ. Apócope de agorar, gorar. Diz-se do ovo que não chocou, ficou chocho.
AGRICOLINO. (C.l.c.). Alcunha dos alunos do colégio agrícola de Camboriú. (Informação de Junancir da Silva - BC)
AGUACERO. Metaplasmo de supressão por sincope de aguaceiro. Chuva forte e rápida.
AGUADA. Vertente de água nos morros. Topônimo camboriuense: Aguada das Laranjeiras, Aguada do Canto.
AGUAÍ. Árvore das matas catarinenses (Chrysophyllum viride).
AGUARIA. Diz-se da água na boca. Registrado na cidade de Lages. (Lucas Boiteux, idem, ibdem)
AGUIDAL. Variação da palavra de origem árabe alguidar . Prato ou tigela de barro. Pode variar ainda em alguedar, guidar, guidáli., aguidar.
AGUIDALI. (dá). Metaplasmo de adição por paragoge de aguidal. Alguidar.
AGUIDAR- Síncope de alguidar.
AGULHA. Tranca-rês. Porteira aberta de pasto.
AIMPIM. (c.l.c.)Metaplasmo de adição com epêntese de aipim.
AIPIM. Em Santa Catarina, em especial no centro do litoral catarinense a pronúncia corrente é com /I/ nasalizado: aimpim. Porém a forma gráfica geralmente e esta. O aipim é uma raiz comestível, muito saboroso, semelhante à mandioca. Porém a mandioca não é comestível por ser venenosa e tem sabor amargo. Visualmente não há diferença entre mandioca e aipim.
AIURÊ. Designação de localidade pertencente à cidade de Grão-Pará.
AJATO. (c.l.c.)Espécie de guisado feito de sardinha cozida em óleo e tomate: sardinha ajato.
AJITÓRIO. Variação de ajutório. Fenômeno raro de variação da vogal /U/ para /I/. Síncope de adjutório. Ajuda, esmola.
AJOJAR. 1- Síncope de ajoujar. Colocar o ajoujo.
2- Metaf: Chapulentar, Achochar, atochar, dar um tabefe, meter a mão na cara do outro. “Meteu-lhe a mão na cara do outro que ajojô.” (Inf. Maria Alice Pereira - Camboriú)
AJOJO. Metaplasmo de supressão por síncope de ajoujo. Espécie de jugular usada em parelha de animais, para que ambos, sigam o mesmo caminho.
AJOUCADO. (ling. planalt.) Nos falares da vida campeira tem sinônimo de aconchegado. (Doralécio Soares, Falares da Vida Campeira p .15)
AJURAPÉIA. Nome de uma montanha na cidade de São Francisco do Sul.
ALAOZA. Prótese de laoza ou laúza. Veja: Alaúza.
ALARIFA. (do árabe) (l.planalt.) Aragano, aspa furada, ventano; esperto para negócios. Registrado na cidade de Curitibanos. (Euclides Felipe. Idem BCCF- 1950)
ALAÚZA. Prótese de laúza. Baderna, bagunça, lambança.
ALBARDÃO. Topônimo palhocense, provavelmente de origem portuguesa.
ALBITANA. Metaplasmo de adição por prótese de bitana.
ALÇA. (C.l.c) Nome que se dá à linha do espinhel que vai da madre ao anzol
ALCOBAÇA. Lenço grande, geralmente usado pelos cheiradores de rapé. (L. Boiteux -Poranduba Catarinense)
ALEMÃO. Forma usada pelos antigos moradores da Praia de Camboriú para denominar o turista, motivados pelo forte fluxo de turistas teuto-brasileiros vindos do Vale do Itajaí.
ALEMÃOZINHO. 1- Diminutivo de alemão.
2- Denominação dada à abelha Jataí (Tetragonisca angustula), também conhecida como abelha
mosquitinho.
ALEMOA. (c.l.c.)Epêntese de alemã, feminino de alemão.
ALGAROBO. Denominação de um tipo de madeira de lei. (Boiteux - Poranduba Catarinense)
ALGUIDAR. (árab.) Espécie de tigela de barro com alça sobre a boca.
ALIAÇA. Metaplasmo de adição com prótese de liaça. O mesmo que linhaça.
ALICERÇO. (c.l.c.)Deformação por paragrama de alicerce, fundamento.
ALINHAÇA. Metaplasmo de adição com prótese de linhaça.
ALMANJARRA. (do árabe) Peça que liga o eixo central da entrosga à canga do boi. Var. Manjarra
ALMEJA. Metaplasmo de supressão por síncope de amêijoa, espécie de concha existente nas praias do norte catarinense. Var. Armeja, ameja. Q.v. Mija-mija “Caramujo, berbigão, almejoas (sic)”. (Roberval Defreitas - Coisas do meu litoral, p.48)
ALOITO. Briga, luta. Euclides Felipe, ao comunicar à Comissão Catarinense de Folclore esta informação, disse textualmente que, “geralmente ouve-se dizer alotho”. Francisco Filipak afirma ser uma expressão usada no falar paranista. Parece-nos prótese de luita, uma variação muito rara da palavra luta. Luta, usada na Região Oeste Catarinense e sul do Paraná.
ALOPRADO. Doido, envaremado.
ALUADO. Lunático, que sofre influência da lua, que vive com a cabeça no mundo da lua, desatento, espavitado.
AMACHURRAR. Amoitar-se, aquietar-se, encolher-se: “Amachurra boi dorado/ amachurra devagar...” Do folclore do boi-de-mamão. (Novo Dicionário da Ilha)
AMAINGA. Expressão de saudade usada no contestado. Transcrito do Glossário de Poranduba Catarinense. (Boiteux Op cit)
AMARRAÇÃO. Nome de um antigo bairro em Balneário Camboriú.
AMÉCIA. Síncope de armécia.
AMIGA. Sinônimo de amante no centro do litoral catarinense.
AMIGAR. Conviver maritalmente, juntar-se à amante, à amiga.
AMOADO. Amuado.
AMOJAR. Diz-se da vaca ou da menina que está criando mojo, seios, teta, mamica.
AMOJUDA. Mojuda, mamicuda, de mojo grande.
AMÔO. Amuo. Mau humor. Embucicamento.
AMUADO. Embucicado, emburrado, com a tica. Ilson Rodrigues traz a forma samoco.
“Ficou amuado, aborrecido, olhos cheios d´água”. (Rádio Peão p 135)
AMURCILHAR. Veja emurcilhar.
ANAUÊ. Saudação integralista. Retirado integralmente do Glossário de Poranduba Catarinense. (idem, ibdem)
ANCA. (Med. pop. cat.) Costas, cadeiras. Geralmente vem no plural “as ancas”. Quadril feminino.
ANCINHO. Rastel, gadanho. Mais usado entre os centro-litorâneos.
ANHATO-MIRIM. Anhatomirim. Nome de origem indígena de uma ilha no norte da Capital catarinense.
ANHOLINE. Pidgin italiano: Agnolini. Sopa com uma espécie de macarrão contendo temperos no seu interior. (Osvaldo Furlan, Brava e Buena Gente p 68)
ANTESDONTE. Anteontem.
ANTIONTI. Variação de antesdonte. Ontionte.
ANTROLHOS. (tró). Epêntese de antolhos. Óculos. Especialmente aqueles de couro que são colocados nos olhos dos bois que giram a moenda. “Teodoro cangava o boi e botava os antrolhos”. (Anna Fuchs - Sete minutos - Memórias de minha infância em Balneário Camboriú - p 19)
APA. Instante. Usada na locução “num apa” que quer dizer num instante.
Nas localidades próximas da fronteira, por influência castelhana, é comum se ouvir dizer “num rato”.
APÁ. Bunda, nádegas. “Volta do apá”, na linguagem oestina. (do Glossário contido no livro Vida Salobra)
APARADO. Costumava-se dizer do primeiro café coado. Depois incorporado ao costume como sinônimo de cafezinho. Convidava-se alguém para tomar um aparadinho, ou um golinho de café, ou ainda um gorpinho de café. “Piscidônio depois que tomava um aparadinho, ia frugulhar os dentes” (Isaque de Borba Corrêa - Colóquio - inédito)
APEIRO. Mobílias, utensílios. “A casa é muito bem aperada.” (Doralécio Soares - Falar Serrano p 14) O Dicionário de Regionalismo do Rio Grande do Sul diz que é o arreio do animal.
APETREBU OU APTERIBU. Nome indígena de Curitibanos. (Mapa Geográfico de “Hua parte da América Meridional, desde o Trópico de Capricórnio” 1773)
APIALAR. 1- Pegar alguém de pialo, de surpresa.
2- Laçar um quadrúpede pelas mãos. (Euclides Felipe, Op cit)
APIANÇADO. Que tem apianço.
APIANÇO. Pianço, dispinéia por pios, asma.
APICUÃ. Picuã. Nome de uma ave de porte médio, parecida com o anum pardo, cuja característica principal são os olhos vermelhos. No centro do litoral catarinense, quando aparece alguém com os olhos vermelhos se diz que estava “com os olhos vermelhos que nem uma picuá emaconhada”. (Isaque de Borba Corrêa - Pirão com Milongas - inédito)
APILCHAR. Arrumar-se, trajar-se a rigor. Termo oriundo do gauchês, muito usado no oeste catarinense, que refere-se em especial aos trajes típicos do gaúcho. “Lavaram as roupas.... e se apilcharam.” (Heitor Lotheu Angéli. Crônicas do Oeste, p 158)
APINCHAR. Metaplasmo de adição pó prótese de pinchar.
APIPO. Nome de uma espécie de laranja azeda, muito comum no oeste catarinense. “É tempo de apipu e a paca gosta muito desta fruta.” (Idem ibidem p 104)
APIÚNA. Cidade do Alto Vale do Itajaí, que na linguagem indígena significa “cabeça de negro”, conforme algumas obras consultadas. Segundo consta, decorre de a cidade ter este nome, motivado por uma enorme pedra, numa montanha, semelhante a uma cabeça de negro.
APOIPAR. Metaplasmo de Prótese de poipar. Câmbio vocálico na letra /I/ - Poupar.
APOITAR. Amarrar a canoa à poita. Ancorar . “Ao chegar no local, onde São Tomé costuma apoitar a bateira, não pode retirará-la porque os índios a encheram de pedra” (Isaque de Borba Corrêa - São Tomé - A saga do Apóstolo de Jesus no continente americano - Inédito p 84)
APOJAR. (c.l.c.)É o mamar do bezerro para provocar a descida do leite. Quando a vaca não quer descer o leite, é comum colocar o bezerro para apojar. Ao perceber o bezerro mamando, a vaca desce o leite, e aí, continua-se a ordenha com as mãos. Outros autores sugerem que seja o último leite tirado da vaca ou o mais gordo.
APOJO. (pô). Ato de apojar. Este vocábulo pode sofrer pequenas variações de sentido conforme a região, porém todos com o sentido de extrair o leite da vaca. No centro do litoral, refere-se à simulação da ordenha através do bezerro, para estimular a vaca a soltar o leite. Coloca-se o bezerro para mamar, e assim que a vaca soltar o leite, continua-se a ordenha com as mãos. Em algumas regiões do planalto pode ser o leite mais gordo.6 “Quem ordenha o leite, bebe o apojo.” (Ditado gauchês)
APORRINHADO. Que aporrinha, xarope, enjoado, chato. “Já andava apurrinhado de tanto vender picolé.” (Maykon Tenfen - Entre a Brisa e a Madrugada p 26)
Francisco Filipak encontrou este termo em Ibiraçu-ES. (Francisco Fillipak - Vocabulário Regional de Ibiraçu - ES)
APORRINHAR. Enjoar, encher o saco, enjoar, injicar, chatear.
APRICATAR. Var de aprecatar. Precaver.
APRUMAR. Colocar no prumo, endireitar, melhorar.
ARACANGA. (do guarani) “mbira + canga”. Literalmente pau de cabeça. Segundo Lucas Boiteux (Poranduba Catarinese) é um pau que os pescadores usam para bater na cabeça dos peixes grandes para matá-los.
ARAÇATUBA. (do guarani) araçá + tuba. Lugar que tem bastante araçá . Topônimo catarinense, localidade da cidade de Imbituba.
ARACUÃ. Nome comum de um pássaro da ordem dos galiformes, família dos cracídeos.
ARAGANO. (l.planalt.) Alarifa, espertalhão.
ARAQUARI. (do guarani) Ara = papagaio + cuara = buraco + i = água. Denominação de uma cidade do litoral catarinense fundada em 1876. Antes era chamada de Paraty.
ARARANGUÁ. (do guarani) Ara = papagaio + guá = vale. Denominação de uma cidade do litoral catarinense fundada em 1880.
ARARIÚ. (do guarani) Ara = papagaio + i = água + ú = redução de açú Localidade da cidade de Palhoça.
ARATACA. Topônimo lagunense.
ARATINGAÚNA. (do guarani) Ara = pássaro + tinga = branco + úna = preto. Denominação de uma localidade na cidade de Palhoça.
ARAÚJA. (lit. cat.) Variedade de pescadinha. (peixe do gênero Cynoscion)
ARAZ-FRIA. Var. de aragem fria, vento frio.
ARCA-CAÍDA. (Med. pop.) Problema relacionado com as costelas das crianças: “Médico também não cura arca-caída.” (Elaine Borges e Bebel Orofino - Vozes da Lagoa, p 130)
ARCAVÉM. Parte de trás do carro-de-boi. É constituído de uma régua de dois ou três dedos de largura, pregada no assoalho na parte de trás do carro-de-boi. (Dicionário de Regionalismos da Ilha)
ARDENTIA. Bioluminescência marítima: fenômeno de luminosidade que ocorre na água do mar nas noites escuras, também conhecido como fosforescência do mar, causadas por protozoários marinhos, fitomastiginos, dinoflagelados, microscópicos e de corpo luminescente. “Um apaixonado por tudo que revela mutações, as ardentias, o brilhar do sol batendo nas ondas...” (Álvaro de Carvalho - Imagens que Ficaram p 103)
ARENGA. Conversa fiada. (Doralécio Soares - Falares da Região Serrana p 1)
ARGANEL. Fio de arame atravessado no focinho do porco para impedi-lo de fuçar ou, escavocar o terreno.
ARIAR. Dar brilho, principalmente nos utensílios de alumínio da cozinha. Acredita-se que seja assim denominado, em virtude de as pessoas usarem a areia para limpar e dar brilho às peças. “As panelas são ariadas com cinza e sapólho.” (Roberval Defreitas Op cit p45)
ARICUNGO. (l.planalt.) Cavalo Ruim. (Boiteux Op cit)
ARIGÓ. Broqueiro, operário que trabalha nas pedreiras na região de Camboriú. Já está se usando esse termo como epíteto do povo nativo de Camboriú. “ ... a forma rude que usava para ensinar aquele aprendiz de arigó” (J.A. Rebelo - O Menino e a Pedreira, p15)
ARIGONHA. Rosca de polpa de pêssego. (Gloss. de Vida Salobra)
Filipak afirma ser uma variante de aregonha, e assevera que seja tiras de frutas secas com as quais se fazem sobremesa. (Anotações do Próprio Fillipak, em notas revisionais no original)
ARINQUE. Cordão que vai do catuto à pedra, na madre do espinhel. (Lucas Boiteux Op cit)
ARIOCA. (ó). Afluente do Rio Canoas em Lages.
ARIRIBÁ. (do guarani) arara = Papagaio ou simplesmente ave + iba = Árvore)
1- Denominação de uma árvore da família das leguminosas, que as publicações oficiais registram como araribá.
2- Nome de um bairro na cidade de Balneário Camboriú.
ARIRIÚ. Nome dado a uma praia e a um rio na cidade de Palhoça. Veja Iririú.
ARMÉCIA. Q.v. mescla.
ARPOEIRA. Nome que no sul do Estado se dá ao rufo da tarrafa. Registrado na cidade de Sombrio.
ARQUÊ. (c.l.c.)Metaplasmo de supressão por apócope, com rotacismo, de alqueire. Antiga medida de capacidade equivalente a meio saco ou a 18 litros de capacidade. Esta medida ainda é usada nos engenhos de farinha. Ex:“saiu lá de casa carregado com meio arquê de farinha.” (Isaque de Borba Corrêa - Pirão com Milongas - inédito)
ARRAIAR. (c.l.c.)Socioleto de broqueiro que quer dizer fazer raio na pedra, fazer uma guia para dar o talho na pedra. Var. arraiá.
ARRANCAR. Sair, carcar. “Te arranca!” Interjeição que significa: “Te manda! Carca! Pira!” “-Então te arranca! Se tiver pai, avisa que pago bem.” (Maikon Tenfen Op cit p 59)
“...Montou no animal e se arrancou.” (Silveira Júnior - Memórias de um menino pobre p 46)
ARRANCO. Ânsia de vômito. “ Saiu fazendo arranco pra gumitá” (Isaque de Borba Corrêa -
Pirão com Milongas - inédito)
ARREATAS. Tiras de couro com as quais se prendem as bruacas, nos cavalos. (Doralécio Soares - Falares dos municípios serranos p 14)
ARREBENDITA. Variação de rebendita. Possivelmente origina-se de revindita. Revanchismo. Ex: “Fez esta sacanagi como arrebendita da surra que levô.” (Informação de Sálvio Violant- BC)
ARREBENTONA. Proposta que arremata uma certa quantidade de mercadoria abaixo do preço.
ARRECIO. Prótese de recio. Cheiro do mar, maresia.
ARREGANHAR. Escancacar, esgaçar, abrir-se. O mesmo que reganhar. “Por se vestir como puta barata e se arreganhar para o primeiro imbecil que chega aqui.” (Diarinho nº 6736 p 13)
ARRETAR. Alisar algo ou alguém, geralmente com más intenções. Alisar exageradamente uma superfície.
ARRIAME. Conjunto de apetrechos de montaria, arreios, apeiros, curiama. “Sujaram seu arriame.” (Lothieu - Crônicas do Oeste p 64)
ARRIBA. Acima, levantado, por cima, em cima.
ARRIBAR. Levantar. Diz-se do convalescente, e neste caso, existe a seguinte expressão: “Está melhorando de saúde”, ou seja, está melhorando da doença de que foi acometido. Engordar, enriquecer.
ARRIBOU. Engordou, enriqueceu, ficou melhor de saúde.
ARRELIA. Prótese de relia.
ARRELIAR. Prótese de reliar.
ARRIMEDAR. Variação de arremedar, imitar os outros.
ARRIQUIBANQUE. Caixa de guardar objetos, que serve também de banco para sentar. (Inf. Braz Silva- Camboriú -SC)
ARROFO. Parte central da espingarda. (Boiteux Op cit)
ARROINAR. Variação de arruinar. Arronhar.
ARROMBAR. Dar show, fazer bonito. Muito usual na capital: “Arrombastes nega!”
ARRONHAR. Var. de arruinar, infeccionar um ferimento. Inflamar, infeccionar.
ARUMBEVA. Espécie de cacto que vinga nas areias das praias do Estado. “Usava também espinho de arumbeva.” (Elaine Borges & Bebel Op cit p 121)
ÀS PAMPARRAS. Locução que significa à vontade, a-miguéli, à beça.
ÀS PAMPAS. Locução para designar grande quantidade. Às pamparras. (Francisco Filipak - Dic Reg do espírito Santo)
ASSANHADA. Mulher presunçosa, emperiquitada.
ASSISTIDA. Menstruada. “Quando fiquei assitida pela primeira vez, fiquei com medo.” (Elaine & Bebel Op cit p 121)
ASSONSADO. Zonzo, cansado, fadigado.
ASSOPREIRA. Prótese de supreira.
ASSUNSADO. Desatinado, andando de um lado para o outro, sem saber o que fazer.
ASSUNTADO. Pessoa com a cabeça no lugar. Assentado. P.ex.: “Este rapaz é bem assuntado”.
ASSUNTAR. Prestar atenção, ouvir, gravar na memória.
ASTREVER. Epêntese de atrever.
ATARANTADO. Atarentado.
ATARENTADO. Atribulado, assunsado, indivíduo atrapalhado.
ATASANAR. Atesanar,
ATESANAR. Atisanar
ATISANAR. Fazer tisana, arrenegar, arrenegado. Atizanado, irritar. No livro Vozes da Lagoa encontramos a forma atizaná. “Quando vem à escola atizaná as crianças.” (Elaine & Bebel Op cit p 49)
ATEMPADO. Intanguido, amarelo, pandulho, fraco, desmilingüido.
ATIBADO. Atupetado, atochado, cheio, repleto, sicado, especialmente se diz quando está com a barriga cheia, está atibum.
ATIBUM. Atimbum, cheio, empazinado.
ATILHO. Barbante para amarrar, para atar. “Temos a fazer muito remendo nos atilhos” (Lothieu - O velho Balseiro p 40)
ATIMBUM. Com a pança cheia, satisfeito.
ATIPADO. Aquele que faz tipo, panca; metido a bonito ou de bom gosto. “Pretendente melhor não precisava:moço de fora, moço de vista, bem aprumado, vistoso, bem atipado e pancoso.” (Isaque Borba Corrêa - Poranduba Papa-siri p 19)
ATISANADO. Derivado de tisana. Cheio de tisana, que sofreu tisana, que foi intisicado, arrenegado, irritado.
ATOCALHAR. Hipercorreção, hiperurbanismo ou ultracorreção de atocaiar por sugestão das correções feitas por conta do fenômeno da iodização (ieísmo) nas palavras terminadas com dígrafo /LH/. Ficar de tocaia.
ATOCHADO. (c.l.c.)Cheio, atupetado, carregado, chapado.
ATOCHAR. Encher, atupetar, carregar.
ATORAR. Cortar pelo meio, amputar.
ATRACAR. Grudunhar, agarrar.
ATREITO. Que está na iminência de acontecer. Propenso, sujeito a acontecer.
ATUCANAR. Atribular, perturbar.(Novo Dicionário da Ilha)
ATUPETADO. (c.l.c.)Variação de atopetado. Atochado, carregado, repleto, cheio. “Imaginem fazer uma viagem de 70 dias, Num barco atupetado de escravos.” (Isaque Borba Corrêa - A Escravatura em Camboriú p 25)
“Ele havia carneado um boi no sítio e a Brasília estava atopetada de carne.” (Rádio Peão p 147)
ATURAR. Suportar, agüentar.
AVACALHADOR. Aquele que avacalha, estraga a brincadeira dos outros.
AVACALHAR. Estragar alguma coisa, uma brincadeira, anarquisar, destruir.
AVALOAR. Avaluar. Valorar, atribuir valor.
AVALUAR. Paragrama de Avaliar.
“ Pra fazê a minha pescaria/ eu tenho a minha canoa/ no dia que eu vô no mar, não dô remadas à toa/
Minha pesca é de espinhé, tenho feito pesca boa/ tenho pegado peixe, que ninguém não avaloa.” (José Severiano da Silva- Poesias populares - in História de Duas Cidades p 70)
AVEZADO. Acostumado, habituado. (Novo Dicionário da Ilha)
AVIO. (L. planalt.) “Avio de fogo”. (Apesar de encontrar pronúncia alveolarisada /vil/, grafei-a com a pronúncia da semivogal /W/ que forma o ditongo /io/, porque relacionei-a com o vocábulo similar /pavio/ que tem quase o mesmo sentido. Avio é o nome que se dá ao isqueiro na região serrana. Lá, segundo informações, isqueiro (q.v.) inspira malícia e é palavra chula. (Inf. do Lageano Marcolino Wolf Silva - BC)
AVORAÇADO. Variante fonética por lambdacismo de alvoroçado. Inquieto, irrequieto, agitado, apressado, acelerado. (Inf. de Raôni Manoel Germano da Silva Borba Corrêa. BC)
AVORAÇAR. Metaplasmo de supressão por síncope com lambdicismo de alvoroçar. Por em alvoroço
AVUADO. Variação por síncope com rotacismo de arvoado. Indivíduo aluado, aéreo.
AZAMBUJA. 1- Colônia fundada em 18 de abril de 1847 em Tubarão.
2- Santuário de N. S. de Azambuja - Brusque.
AZELHA. (lit. cat.) Diz-se das guelras ou das barbatanas do peixe no centro do litoral. “Até o peixe, o pai vendia as melhores postas e dava as azelhas para gente comer”. (Isaque Borba Corrêa - Poranduba Papa-siri p 28)
AZOGO. Pelo que pudemos traduzir ao ouvir esta palavra, é algo como trans-missão de pensamento, através do pensamento. Os grandes dicionários trazem uma forma aproximada de aziago, que tem sinonimia com agouro. (Isaque Borba Corrêa - Dicionário Papa-siri)
AZOINADO. (l.planalt.) Meio zonzo, aborrecido.
AZOINAR. (l.planalt.) Zonzar, aborrecer. (Dicionário de Regionalismo do Rio Grande do Sul)
AZUCRINAR. (c.l.c.)Enfezar, irritar aporrinhar. (Inf. de Gilberto de Borba Corrêa - BC)
AZULEJO. Tipo de pelagem de eqüinos. Veja Zulejo.
AZUNIAR. (c.l.c.)Prótese de zuniar.

3 comentários:

arvoredo disse...

farta tu culucá ali a palavra aturduar, pucadique, ontisdonti, caquela truvuada toda nós fiquemus tudu aturduadu caqueli barulhão, sem contá ca chuva di pedra fez us istragus puraqui pras bandas dus Ganchus qui foi di acudir genti.
Ma bem cotinha ti faladu pra ti lá nus orleans, quitava sapreparandu uma truvuada di pedra i tudu.
ÓH, digi ai presse povu dus Camburiú qui nós aqui condu cumeçou a caí us bagus di chuva si carquemus pra drentu di casa, fechando a porta ca tramela e fiquemus bem quietinhu causu dus curiscus qui alumiava tudu quéra cantu.
abraçus ai.
Migué Simão

POETA JOEL DE OLIVEIRA disse...

muito legal e interessante as coisas que voce escreve ae isaque, eu sou um amigos da letras como vc sabe, mas não sei nada sobre a historia, muito menos os sotaques, isso é coisa pra quem sabe mesmo, no caso voce. um grande abraço.

Anônimo disse...

Hi, as you can see this is my first post here.
In first steps it's very good if someone supports you, so hope to meet friendly and helpful people here. Let me know if I can help you.
Thanks in advance and good luck! :)