terça-feira, 2 de junho de 2009

Palavras com Q

QUAGI. (c.l.c.)Zetacismo do advérbio quase. Com dificuldade de pronunciar o fonema /Z/ o falante vulgar a substitui pelo /G/
QUARADO. (c.l.c.)Corado, limpo.
QUARADÔ. Quarador, coradouro. Lugar onde se coloca a roupa para quarar.
QUARAR. Corar. Corar a roupa.
QUARTA. Antiga medida de capacidade equivalente a ¼ de um alqueire. Diz-se “uma quarta”. Neste caso, consideramos enálage de gênero, pois corresponde a “um quarto (¼) de alqueire”.
QUARTOS. As cadeiras, costas, ancas, quadril.
QUECA (qué). Ouvi este termo na região de Rio dos Cedros, como sinônimo de vulva. (Inf. Agenor de Castilho)
Var. creca.
QUEÇABA. Nome de uma estação meteorológica no sul do Estado.
QUEDA. 1- (adj.) Fibra, qualidade. P.ex.: “Rapaz de queda, este menino.”
2- (subst.) Dom, dote natural. P.ex.: “Ele não tem queda para isto.”
3- (subst.) Partida de jogo.
QUEIXUDO. Teimoso, cabeçudo. (D. Soares, p 15)
QUEMADA. Quemadinha.
QUEMADINHA. Síncope de queimadinha. Bebida feita à base de cachaça, açúcar queimado e canela. Também chamada de “concertada”.
QUENGO. Cocoruto da cabeça. Também se diz da batida de cabeça com cabeça, coco, testada.” Dei com o quengo do coco da cabeça na pedra da calçada, peguei um intanguimento, fiquei impongado, amarelo, bafu, nanico e fiquei do jeito que tô.” (Isaque Borba Corrêa – Na pressão da Panela – Contando Milongas – inédito)
QUEPE. (qué). Bibico, bonéu. Quepe refere-se em especial, ao boné de soldado.
QÜERA. (qüé). (do guarani –velho- Incorporado ao espanhol platino, muito usado no falar gauchesco) Sujeito macho, valente. “A cada movimento do homem, mais se preocupavam os operadores, pois o qüera, além de espalhafatoso, pesava cento e tantos quilos” (Rádio Peão p.66)
QUÉS. Síncope de queres, verbo querer, 2ª pessoa do presente do indicativo. Maneira de satirizar a linguagem do litoral catarinense, usando o chibolet: “Se qués, qués; se não qués, diz.”
QUIBEBE. Pasta de abóbora. (Dicionário de Regionalismos da Ilha)
QUICA. Metaplasmo de supressão com síncope de quilica. Bolinha de vidro.
QUIDÉLI. (dé). Variante fonética de cadê ele (?), onde está (?), que dê (?).
QUILHA. 1-Doença de pássaro.
2-Qualquer forma de calha.
QUILICA. Bolinha de vidro, bola de gude, peca, bulica, tilica.
QUINÉM. Variante fonética de “Que nem”: à semelhança de... Igual “Num pealo, os pais viram a criancinha definhar-se quiném carne de peixe escalado que fica muito tempo no sol.” (Franklin Cascaes - O fantástico da Ilha, p 56)
QUIRELA. (ré). 1- Sobra, resto de alguma coisa; muito usada no diminutivo quirelinha. P.ex.: “Se sobrar uma quirelinha tu
me dá.” Em muitos lugares do Brasil diz-se do milho picado.
2- Variante de quirera. Milho picado para pintos.
QUIRELINHA. Diminutivo de quirela. Gorjeta.
QUIRERA. Evolução de caruera. Carolos
QUIRI-QUIDÁ. (c.l.c.)Brincadeira dos vovôs para engabelar crianças. Consistia em se esconder certa quantidade de grãos de milho assado ou cozido numa das mãos, atrás das costas e pedia-se que o outro adivinhasse a quantidade de milho escondida. Tanto poderia a brincadeira consistir em números absolutos, como poderia ser relativo a “pares ou ímpares”. O outro respondia a quantidade e em seguida citava o mote: “Quiri-quidá, abra a mão e me dá”. Caso acertasse, ganhava os grãos que a pessoa havia escondido nas mãos. Era uma brincadeira muito comum com as crianças de antigamente e nos parece uma expressão indígena, pois consultando literaturas especializadas, isto significa literalmente na linguagem indígena: “Fique quieto e dá.”
QUIRIRI. (do guarani) Topônimo joinvilense que, segundo o estudioso Norberto Bachmann, quer dizer silêncio, alegando que pode originar-se do radical guarani quer, que significa dormir. (Norberto Bachmann - Topônimos Joinvilenses de origem Tupi - in Álbum do Centenário de Joinville)
“Tudo caiu em enorme silêncio, ...esse silêncio noturno das nossas regiões a que o tapuio chama, talvez imitativamente, quiriri.” (José Veríssimo - Cenas de vida amazônica p 32. Apud A.E.XXI)
QUÍTIS. (Quit’s) - Hipercorreção ou hiperurbanismo de “quite”, na expressão “Estamos quites”. Fenômeno também conhecido como ultracorreção de quite, que quer dizer livre de dívida, desobrigado. Igualado.

Um comentário:

Deyvid Setti disse...

Olá, Isaque, boa noite para o senhor que criaste este blog para divulgar o dialeto catarinense. Para a sua informação, na norma culta padrão da língua portuguesa falada em Portugal, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique e Timor Leste, a palavra "querela" é sinônimo de disputa, polêmica, discussão, especulação, debate, altercação, controvérsia, questão, demanda. Por exemplo: ''fulano de tal iniciou uma querela a respeito da história recente do Espírito Santo entre o final do século XX e início do XXI, e por causa foi agredido por debater a situação da criminalidade no estado e também por blasfemar contra a terceira pessoa da Santíssa Trindade, sendo excomungado pelo Arcebispo de Vitória, por não estudar história do Espírito Santo, do Brasil e dos municípios capixabas''".

Para maiores informações, consulte o Dicionário Regional de Gírias e Jargões, de autoria de Clério Borges, comprando através do site http://www.estantevirtual.com.br. Se tiveres o livro, não precisas comprar.

Experimente também consultar o Dicionário Sociolinguístico Paranaense, de autoria de Francisco Filipak, seu grande colega de trabalho, comprando através do site http://www.estantevirtual.com.br. Se tiveres o livro, não precisas comprar.

Abraços do Paraná, a Terra das Araucárias e Terra de Todas as Gentes.